terça-feira, 22 de outubro de 2019

Palavras Dispersas: Sem tempo para errar

Penso que somos impacientes por natureza, pouco tolerantes, muito centrados em nós mesmos, com preconceitos que normalmente nem sabemos que temos, com uma lista de defeitos que balança com a de virtudes.
Falamos em xenofobia, falamos em preconceito, falamos em religião, falamos em ecologia, entre muitos outros temas.
Falamos em igualdade, mas, não estamos dispostos a ajudar o terceiro mundo, nem a baixar os preços praticados com medicamentos e a gastar o suficiente para ensinar a serem autónomos. Num exemplo que nos é próximo, passou pouco mais de cinco anos e a solidariedade para com Portugal e Grécia… que pode ter parecido muito… acabou por ser insignificante e mesmo cruel, normal quando gregos e portugueses gostam pouco de trabalhar.
A bem da verdade, há que ter presente que entre o ideal e o real, vai muito esforço, muita luta, muita continuidade e infelizmente, muitos anos até que se possa eventualmente concretizar num plano aceitável para os meus e nossos conceitos de Humanidade.
Entendo muito bem e subscrevo, não aceito a desigualdade, sabendo que, infelizmente o mundo necessita de mais tempo e muita determinação.
Durante séculos, muitos, o papel da mulher chegou à invisibilidade, hoje, claramente não o é e, apesar da luta estar longe de terminada, o caminho, esse, está bem adiantado, sabendo que este planeta tem diferentes cantos, nem todos no mesmo patamar de evolução.
Falamos de religião, do mundo árabe, esquecendo o que nos custou livrar da inquisição e pior, quando, das religiões “aceitáveis socialmente”, algumas conseguem impedir os médicos de atuar e outras fazem negócio por conta da fé.
Falamos de xenofobia, pelos atos lamentáveis daqueles que se julgam superiores, pelos atos cobardes de quem incita, escondido por detrás de um computador/telemóvel, quando ainda encontrarmos pessoas dentro de contentores, quando rejeitamos refugiados, quando quando quando….
Falamos em preconceito, mas achamos ser um direito dar voz a um qualquer Hitler de trazer por casa que dê voz a pensamentos… a liberdade de expressão não é justificação para a ignorância e pessoas mal educadas.
Falamos em ecologia, sem a praticar.
Falamos em unir, enquanto os nossos idosos permanecem ao abandono.
Evolução requer tempo, enquanto este nos parece querer dizer que já não há muita margem para errar...

11 comentários:

  1. Dizer o quê quando disseste tudo, de modo tão claro e abrangente?
    Apenas direi que somos uns palhacitos, a brincar a informados e gente bem, e no final tudo o que fazemos e dizemos é para a selfie de consumo imediato.

    Estiveste muito bem, Sam - Estás sempre :)

    ResponderEliminar
  2. Boa tarde de paz, Sam!
    Controversias bem notidas há dentro e fora de nós. Uma dicotomia nítida em atos e palavras.
    Que haja de fato a paz interior e que nossos pareceres sejam reais, sentidos no 💝!
    Urge tentar minimizar erros...
    Tenha dias abencoados e felizes!
    Abraços fraternos de paz e bem

    ResponderEliminar
  3. Sam,infelizmente há muito longo caminho e entre o falar,criticar e agir...Uma pena! Tantas verdades aqui!
    Abraços, chica

    ResponderEliminar
  4. Um texto excelente como SEMPRE‼
    Confesso que o meu altruísmo, anda pelas ruas da amargura‼
    Mas errar é humano, não é verdade, Sam⁉

    ResponderEliminar
  5. O pequeno príncipe aprendeu muito com a raposa. “O essencial é invisível aos olhos”. E nós também devíamos seguir os ensinamentos a que fomos e somos expostos, mas continuamos a cultivar a nossa aparência, a nossa imagem., Continuamos a ter boas intenções, mas ações poucas...
    Eu tenho o mau hábito de duvidar do alarido de muita gente que defende isto e aquilo com muita veemência verbal... mas quando se trata de pôr em prática tudo aquilo que apregoam pouco fazem na realidade.
    Tudo o que o Sam escreveu é real de uma forma ou de outra. Apesar de muitos de nós não ter um cargo onde possamos exercer o nosso poder a nível nacional ou internacional, acredito que a nossa pequena diferença vai, no final, fazer uma grande diferença. Começamos a modelar as nossas boas intenções no nosso lar, no local de trabalho e chegaremos mais longe do que inicialmente pensámos.

    ResponderEliminar
  6. Gostei do post, tanta verdade nele contida e um longo caminho que todos temos que percorrer
    Abraço
    Kique

    Hoje em Caminhos Percorridos - Só depois do sexo...

    ResponderEliminar
  7. O célebre diz o roto ao nu que mal vestido andas tu, não é?

    ResponderEliminar
  8. Protesta-se muito, mas na realidade faz-se muito pouco... Há muita verdade no texto e fez-me lembrar o meu Pai. Vou resumir o que ele dizia " não aparecem para o que é preciso, mas comer de borla estão lá todos"..
    Tenho muitas saudades dele, porque era um homem bom e muito alegre...
    Beijos e abraços
    Marta

    ResponderEliminar
  9. Precisamos de reaprender a viver a nossa relação com o mundo e com os outros.

    ResponderEliminar
  10. Um tema bom para uma roda amigo.
    As intolerâncias espalhadas pelo mundo, os preconceitos, e ainda ridículas discriminações culturais nos faz desanimar de ver um mundo mais justo e mais leve. Olhando para a luta da mulher, por mais que tenha andado ainda há muito que caminhar, principalmente no Brasil, onde a cada hora uma mulher é violentada por alguma modalidade. Os homossexuais pagando com vidas pelas ruas. As leis ultrapassadas nãos os defendem e ainda se vê preconceito por cor, onde a população é maioria mestiçada. A insensibilidade ao sofrimento, à fome e miséria no mundo ainda é invisível e o crescimento da violência é criticado, mas nada de focar na origem desta. Enfim amigo, estamos pisando sobre barris de pólvora sem imaginar quando tudo isso pode subir aos ares.
    Outra bela e consciente cronica de comportamento.
    Muito bem amigo, gostei de vir hoje e passear neste campo de conscientização tão bem escritos por você.
    Abraços.

    ResponderEliminar
  11. Tenho tido limitações de tempo, o meu obrigado a todos

    ResponderEliminar